Faça seu agendamento: (51) 3222-5410 | 3314-8555 | 3314-8556

Image

Obesidade e reprodução

Obesidade é o excesso de gordura corporal e está intimamente relacionada à resistência à insulina. Nos últimos 20 anos, a obesidade transformou-se em um problema de saúde pública em muitos países.

Nos Estados Unidos, aproximadamente 2/3 das mulheres e 3/4 dos homens têm sobrepeso ou obesidade. Além disso, aproximadamente metade das mulheres em idade reprodutiva encontra-se acima do peso.

A obesidade aumenta o risco de hipertensão, diabete, doença cardiovascular, apneia do sono, osteoartrite e alguns tipos de câncer. Do ponto de vista reprodutivo, a obesidade pode levar à infertilidade e a complicações durante a gravidez.

Nas mulheres, a obesidade está associada a disfunções ovulatórias, resposta diminuída aos medicamentos indutores da ovulação, alterações no endométrio e menores taxas de gestação. Em homens, pode alterar a contagem e a qualidade dos espermatozoides.

A modificação do estilo de vida, com dieta e atividade física, deve ser a primeira medida para tratar a obesidade, seguida do uso de medicamentos para auxiliar na redução do peso em alguns casos. As mulheres que forem submetidas à cirurgia bariátrica (cirurgia para obesidade) devem adiar a gestação por um ano após a cirurgia para evitar a exposição do feto às deficiências nutricionais que se estabelecem após a perda rápida do peso.

Concluindo, casais onde um ou ambos são obesos devem procurar reduzir seu peso antes de engravidar, como forma de prevenir a infertilidade e as complicaçoes materno-fetais. Entretanto, os benefícios de postergar a gestação para perder peso devem ser muito bem avaliados em casais com idade avançada, uma vez que neste caso o risco de infertilidade por idade também é alto.

Postado por Isabel de Almeida