Faça seu agendamento: (51) 3222-5410 | 3314-8555 | 3314-8556

Somos o que comemos

Certamente, você já ouviu essa frase: nós somos o que comemos. Por isso, é natural imaginar - e já existe comprovação - que a alimentação influencie na fertilidade do casal. Sim, do casal, não apenas da mulher.

E você sabia que existe uma dieta da fertilidade?  Acompanhe:

Carne vermelha

É notório que grandes produtores de carne usam de recursos que visam o crescimento acelerado dos animais para que deem lucro em menos tempo. Muitas vezes, isso acontece a partir da injeção de hormônios no gado.

Ao consumir esse tipo de carne, essa concentração de hormônios pode desequilibrar as taxas hormonais do casal e influenciar na reprodução humana. Por isso, a alimentação de produtos orgânicos é recomendada.

Excesso de proteínas

Todo exagero é ruim. O corpo humano necessita ingerir proteína diariamente, mas o excesso pode ocasionar falha na produção de óvulos. Isso acontece mais com quem consome suplementos proteicos para malhar.

Alimentação saudável

Para ajudar na fertilidade, a recomendação é evitar os alimentos industrializados e processados. Homens que consomem muito mortadela, peito de peru e bacon, por exemplo, têm sêmen de menor qualidade.

Por último, um péssimo alimento para o corpo é o estresse. Ele pode prejudicar a fertilidade feminina e masculina, em função da produção excessiva de radicais livres que danificam o material genético das células, inclusive das células reprodutoras.

Alimentos ricos em substâncias antioxidantes, como as vitaminas B, C e E, além de minerais como zinco e selênio são ótimas opções. Oleaginosas, como nozes, castanha do Pará e amêndoas também não podem faltar  na dieta da fertilidade.