Faça seu agendamento: (51) 3222-5410 | 3314-8555 | 3314-8556

Exames de reserva ovariana e alternativas para gravidez tardia

A idade é um dos principais fatores que influencia diretamente na fertilidade. A realização de exames preventivos e o autoconhecimento do ciclo e potencial reprodutivo são coisas fundamentais para que a mulher viva bem com o próprio organismo. O pico de fertilidade ocorre aos 25 anos e os óvulos começam a diminuir a partir dos 35.

Para saber e entender melhor o tempo de vida útil dos óvulos, a mulher deve realizar testes de reserva ovariana. Esses procedimentos estimam a resposta ovariana ao estímulo hormonal da indução da ovulação.

Os exames que verificam o envelhecimento do ovário são o FSH, AMH e CFA.

  • O mais preciso é o No entanto, possui custo elevado e podem ocorrer divergências, uma vez que os laboratórios utilizam aparelhos diferentes. AMH alto indica boa reserva do ovário.

 

  • A CFA é um exame barato e simples de fazer. Deve ser feito no início do ciclo menstrual, pois é uma contagem dos folículos na periferia do ovário, por meio do ultrassom. O exame interfere na escolha da dose de medicamento e no prognóstico da resposta nos ciclos de fertilização in vitro. CFA acima de 9 indica uma boa reserva ovariana.

 

  • Já o FSH vem perdendo um pouco a sua importância, pois varia muito dentro do ciclo menstrual, e o resultado pode ser modificado em razão de hormônios

 

Se os exames possuírem resultados divergentes, o recomendável é o tratamento terapêutico do casal. A fertilização in vitro aumenta a chance de hiperestimulação ovariana, aumentando a quantidade de óvulos a serem utilizados.