Faça seu agendamento: (51) 3222-5410 | 3314-8555 | 3314-8556

Image

Dicas para uma fertilização in vitro de sucesso

Você sabia que existem algumas ações que podem potencializar os resultados da fertilização in vitro (FIV)? Tanto homens como mulheres podem adotá-las para conquistar resultados mais positivos. A idade interfere na qualidade dos óvulos e espermatozoides disponíveis, influenciando nos resultados da reprodução assistida. Confira algumas dicas que ajudam a ter sucesso no procedimento: 

  1. Redução do peso: todas as mulheres obesas, especialmente as que apresentam IMC (índice de massa corporal) > 35kg/m2, devem ser estimuladas a perder peso antes de iniciar a FIV, especialmente aquelas que tiverem menos de 38 anos.
  2. Cigarro: mulheres fumantes reduzem suas taxas de gestação com FIV à metade e aumentam em 25% suas chances de abortamento. Também homens fumantes reduzem o sucesso das técnicas de reprodução assistida. Um período sem fumo de 3-6 meses antes de iniciar os tratamentos é recomendável.
  3. Álcool: reduz as taxas de sucesso da FIV e aumenta as taxas de abortamento. O casal deve ser orientado a se abster de álcool antes e durante os ciclos de FIV.
  4. Cafeína: os dados são controversos, mas atualmente a orientação é de a mulher limitar o uso da cafeína nos ciclos de FIV.
  5. Alimentação: estudos mostram que o consumo de alimentos cozidos em altas temperaturas (churrasco, grelhados) pode ser nocivo para o processo reprodutivo. Desta forma, sugere-se o consumo de alimentos cozidos, bem como uma dieta com pouca carne vermelha e mais rica em peixes, frutas e verduras.
  6. Bisfenol A: mulheres que apresentam altos índices circulantes de bisfenol A têm piores resultados na FIV. Recomenda- se evitar o contato frequente com as principais fontes de bisfenol que são as embalagens plásticas, alimentos enlatados e recibos de cartão de crédito.
  7. Exercício: o exercício moderado para o casal melhora as qualidades dos gametas e os resultados da FIV. Por outro lado, exercício vigoroso para as mulheres está associado com piores resultados na fertilização. Em homens, mais de cinco horas de ciclismo/ semana reduzem a qualidade do sêmen, mais pelo aquecimento da zona testicular do que pela atividade física em si.
  8. Antioxidantes e suplementos vitamínicos: uma dieta rica em antioxidantes, como a dieta mediterrânea, é sugerida. Chocolate amargo, romã, chá verde, mirtilo, vegetais, frutas, especiarias como cominho, gengibre e orégano também são fontes. Numerosos suplementos antioxidantes estão disponíveis, sendo que a vitamina C é a mais conhecida. O uso de outros suplementos, como ômega-3 e ácido fólico, também deve ser discutido com o médico assistente.
  9. Stress: para a mulher, o stress da infertilidade pode ser comparável a ter um diagnóstico de câncer. Vários estudos têm correlacionado o impacto negativo da ansiedade, da depressão e da irritabilidade com o sucesso das técnicas de FIV. Por outro lado, intervenções psicológicas têm mostrado resultados positivos nas taxas de gestação, como técnicas de relaxamento e estratégias para manejar o stress utilizando técnicas individuais, para casais ou em grupos.

Concluindo, acima foram descritas algumas medidas que podem ser adotadas para aumentar a chance de gestação em casais inférteis que estão realizando FIV. Para os homens, o uso de ômega-3 e antioxidantes está indicado em alguns casos. Para as mulheres, redução do stress e da resposta do corpo ao stress, bem como exercício e perda de peso em mulheres obesas também são medidas importantes. Para o casal, é recomendável evitar o consumo de álcool, parar de fumar pelo menos 3-6 meses antes de iniciar o ciclo de FIV, bem como adotar uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos moderados.

Devido à associação do estresse oxidativo com idade, obesidade, má qualidade do sêmen, dos óvulos e dos embriões, aumentar a ingestão de antioxidantes é uma boa medida para os casais inférteis, especialmente aqueles acima dos 40 anos.

Recentemente, alguns trabalhos em animais demonstraram que o uso da coenzima Q10 pode melhorar as taxas de embriões viáveis na FIV, mas ainda mais estudos são necessários para adotar esta medicação para as mulheres que irão à FIV.

Dra. Isabel de Almeida