Faça seu agendamento: (51) 3222-5410 | 3314-8555 | 3314-8556

Congelamento de óvulos é opção para mulheres que querem ser mãe mais tarde.

Congelamento de óvulos é opção para mulheres que querem ser mãe mais tarde. Estratégia dribla o principal problema da maternidade tardia, que é a perda de qualidade dos óvulos devido ao envelhecimento.
Qual a hora certa de ser mãe?

O dilema das mulheres entre o relógio biológico e a vida socialQual a hora certa de ser mãe? O dilema das mulheres entre o relógio biológico e a vida social

Especialistas recomendam que as mulheres façam o congelamento até os 35 anos, caso planejem uma gestação para mais tarde. Segundo Eduardo Passos, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, mulheres que congelam 10 óvulos até essa idade têm 60% de chance de engravidar. Se fizerem o congelamento depois, a probabilidade cai para 30%.

A opção pelo congelamento significa ter uma gravidez aos 40 e poucos anos em condições iguais às que teriam uma década antes, porque as dificuldades para gestar um filho e para tê-lo saudável não estão relacionadas à idade da mulher, e sim à idade do óvulo. Mesmo a amamentação não será um problema. A produção de leite não se altera – a menos, é claro, que tenha havido alguma cirurgia na mama.

Se o óvulo for congelado jovem, ele manterá esse DNA jovem, o que é um jeito de reduzir as perdas.

A técnica para congelar os óvulos é considerada simples. Envolve um preparo de duas semanas, ao qual se segue a retirada, em procedimento ambulatorial. Os óvulos congelados não têm prazo de validade. Uma dificuldade, dependendo da condição financeira da paciente, são os custos. Eduardo Passos afirma que as despesas rondam os R$ 4 mil em medicação e mais R$ 7,5 mil para o congelamento.

— Começamos a congelar óvulos em mulheres que vinham fazer tratamento com câncer, mas hoje em dia, a técnica é usada por pacientes que querem garantir a sua fertilidade no futuro. É a melhor alternativa para quem decidiu postergar a gravidez. O benefício é duplo: mais fertilidade para a mulher e menos risco para o bebê. Essa é a grande informação que a gente deve passar. A fertilidade eterna não existe. Para quem não pode ter o filho mais cedo, existe essa possibilidade de congelar os óvulos e depois engravidar com esses óvulos congelados, se não conseguir naturalmente — afirma Passos.